sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Desapega, desapega!

Muitas vezes ficamos com várias coisas em casa ocupando espaço e sem utilidade nenhuma. Mas não significa que se algo não tem utilidade para você, não vai servir para outra pessoa. Aquela bici parada na garagem ou um móvel meio abandonado em um quartinho da bagunça pode ser exatamente o que alguém está procurando.

A solução para encontrar a pessoa certa para as coisas que você quer desapegar é um site de anúncios grátis. A OLX é um dos maiores sites de classificados do mundo e está presente em 96 países e em mais de 41 idiomas. Dando uma fuçada lá, vi que tem produtos e serviços das mais variadas categorias. Só pesquisando rapidinho já encontrei uma cadeira vintage maravilhosa e umas bicis super estilosas aqui em Curitiba, olha só:


Além disso tem anúncios de roupas e acessórios, imóveis, celulares e muuitas outras coisas. Vi que é bem fácil para fazer um anúncio grátis, basta preencher as informações a anexar fotos - aí você gerencia seus anúncios e seu perfil em uma sessão chamada MeuOLX.

Aqui no meu apê está mais faltando coisas do que sobrando, já que acabamos de reformar e ainda estamos decorando. É bem provável que eu busque na OLX mais coisas para comprar do que anuncie coisas para vender. Quem sabe você não tem algo aí de que eu esteja precisando?

A empresa está com campanhas super divertidas na TV e é bem provável que você já tenha visto algum dos comerciais abaixo:



O legal dessas campanhas é que elas chamam atenção para duas coisas: desapegar de coisas que a gente não usa mais e ganhar uma graninha extra para aproveitar a vida.

Eu baixei o aplicativo grátis no meu celular e é ainda mais fácil mexer nele do que no site; o visual é bem clean e autoexplicativo.



Espero que essa dica ajude a vocês desapegarem ou encontrarem coisas de que estão precisando!

Beijos,
Ana Loureiro.


quinta-feira, 18 de setembro de 2014

DIY: Moleca Étnica


Sim! Apesar de não parecer, essa belezinha da foto aí de cima é uma Moleca, daquelas que as vovózinhas adoram. Depois que coloquei uma dessas no pé, descobri que nem Havaianas chegam perto de tanto conforto - é demais!

Além de confortável, a Moleca é barateza: paguei R$ 29,00 nessa branquinha. E para tirar a cara do sapatinho da vovó, usei apenas criatividade e Acrilpen, que é uma caneta para tecido da linha Artteen da Acrilex. É bem fácil e você pode conferir no vídeo abaixo como fazer:


Quem quiser dar uma espiada no passo a passo por foto, veja aqui:


Espero que tenham curtido o resultado, porque eu não tiro mais minha Moleca étnica do pé ;)

Beijos,
Ana Loureiro.


quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Sobre peitinhos e peitões.

Imagem: Corbis.

Quando fico muitos dias sem postar no blog normalmente é por um desses dois motivos: falta de tempo ou falta de entusiasmo – nos últimos dias a segunda alternativa me pegou.

Mas o bom de ficar sem postar é que começo a pensar mais sobre o que estou fazendo aqui, e percebi que estou escrevendo pouco sobre o que penso. Resolvi fazer esse post para refletir sobre algo que aparentemente parece superficial.
Lembro que quando era criança sonhava em ser adolescente e ter peitos. Minhas amigas tiveram peitos muito antes de mim e me acostumei com a frase “calma, eles vão crescer”. Na adolescência continuei ouvindo a mesma coisa e nada; ou melhor, quase nada. Para resumir, até hoje eles não cresceram muito e já estou com 27 anos.

Durante anos desejei colocar silicone para me sentir mulher, atraente, feminina. Foi depois dos 20 anos que comecei a aceitar meus peitinhos e gostar mais de mim.

Foi um fato marcante que começou a mudar a maneira com que eu me sentia: mudança de companhias. Enquanto eu estava ao lado de pessoas que me colocavam para baixo, eu precisava encontrar algo para botar defeito. Depois que conheci pessoas que me admiravam, passei a me dar mais valor e me amar.
Está certo ser influenciado pelas suas companhias? Não sei o que é certo ou errado. Só estou contando o que aconteceu comigo. E esse fato foi marcante no meu desenvolvimento pessoal. 

Existem pessoas que têm problemas e complexos pessoais e precisam colocar os outros para baixo para se sentirem superiores. Você já deve ter conhecido alguém assim. O pior é que essas pessoas conseguem sugar sua energia. Por outro lado, pessoas boas e sinceras ajudam muito no seu desenvolvimento.

Mas voltando aos peitinhos e peitões (não que seja esse o assunto principal), fiquei chocada quando li algum post de alguém revoltado sobre ter lido uma matéria de que  agora a moda é ter peito pequeno. Eu também fiquei revoltada, mas analisando bem, temos mais a discutir sobre o assunto.

Não faz o menor sentido impor um padrão físico como moda, como se a cada estação devêssemos entrar na faca e mudar nosso corpo.  Mas faz sentido criar padrões de vestuário que devem ser seguidos a cada estação? Onde fica o espaço para o consumo consciente?

Da mesma maneira que o mercado da moda precisa criar necessidades dentro de nós para vender, o mercado da estética também. Então porque estamos tão chocados? Estamos acostumados a ver milhares de produtos milagrosos de estética sendo lançados, tudo para mudar o corpo e fazer seguir um padrão, mas quando se trata de uma intervenção maior, como uma cirurgia estética, revolta.

Ao invés de revoltar, isso deve servir para despertar. As necessidades que a mídia cria em nós não são obrigatoriedades. Antes de qualquer coisa, é preciso estar bem com você mesma. E voltando ao primeiro ponto, estar em boa companhia é um grande começo.

Mas então eu preciso aceitar meu corpo como é e não fazer uma cirurgia? Lógico que não. Cada um sabe o que é melhor para si e tem o direito de fazer o que quiser com o seu corpo, assim como cada um segue a moda que quer. Não é futilidade querer mudar, futilidade é querer mudar ou seguir padrões para agradar os outros.

O importante é saber que não é a bolsa da moda ou o peito da moda que vai fazer alguém te admirar e sim o que você é por dentro. Ok, parece super cliché, mas é a maior das verdades. À partir do momento que você se ama, se entende e sabe do que realmente precisa, você se torna uma pessoa segura e muito mais radiante. Tudo de bom que tem em você transparece e não vão ser os peitinhos ou os peitões que vão te definir.

Beijos,
Ana Loureiro.

sábado, 30 de agosto de 2014

Tutorial: Caixinhas decoradas


Olá! Preparei mais um tutorial super caprichado em parceria com a linha Artteen da Acrilex. Estava louca para testar a Textura Criativa e adorei o resultado! É super fácil de aplicar.

Essa kit de caixinhas decoradas pode ser usado para guardar materiais de escritório, maquiagem ou o que você quiser. O legal é que eu gastei bem pouco neste tutorial, porque aproveitei caixinhas que eu tinha aqui e que iam acabar no lixo. Veja só como ficou:


Confira o passo a passo no vídeo abaixo:


Que material eu usei:

  • caixinhas de papel;
  • tecido estampado (usei tricoline);
  • cola branca;
  • textura criativa da linha Artteen;
  • barbante de palha;
  • papel colorido;
  • tesoura;
  • régua;
  • caneta

Segue o passo a passo por fotos:


Espero que tenham gostado.

Beijos,
Ana Loureiro.

|publicidade|